quarta-feira, 6 de março de 2013

PROBLEMAS DA ECONOMIA DO BRASIL - 1 - O PROBLEMA DO COMODISMO

Fonte da Imagem: http://4.bp.blogspot.com/_pXEqRUq7v1w/SVZnbyq8-2I/AAAAAAAAB38/FiBm9tkOXNA/s400/Manoel+de+Oliveira_HENRIQUE+MONTEIRO.jpg




ANTES DE TUDO: Eu iria escrever esse texto antes de publicar o post do Platão (O Mito da Caverna). Porém, andei passando por algumas questões que me trouxeram muitas dúvidas relacionadas a minha vida e carreira. Conversei sobre isso com um professor meu, que me recomendou a leitura desse texto do Platão. Já havia lido, porém não sobre a perspectiva atual. Portanto, essa análise sobre a economia tem muito a ver comigo e com o texto...


Chegou a hora de destrinchar alguns pontos daquilo que considero problemas vitais que impedem o desenvolvimento pleno do espírito empreendedor . O primeiro deles tem a ver com aquela questão tão magistralmente colocada por Mario de Andrade em sua obra “Macunaíma”. Principalmente pelo fato de que a frase principal do protagonista é “Ai que preguiça...”.  Não, não acho que o brasileiro seja preguiçoso. Acho, isso sim, que o brasileiro é acomodado, o brasileiro está, sim, dentro de uma zona de conforto. Claro que isso é uma forma de preguiça, mas não é a forma de preguiça que setores da nossa sociedade apregoaram durante séculos.
O que pesa na economia do Brasil a respeito desse tema é o fato de que o número de pessoas empreendedoras, o número de pessoas dispostas a crescer na carreira e na vida fica estagnado. Temos apenas uma porcentagem mais ou menos constante de pessoas que tomam a iniciativa de serem maiores e de melhorar de vida. Muitas pessoas acabam pensando nisso e se movimentando nesse sentido em situações de, digamos, “desespero”. Parece algo evidente que um cara corre atrás de uma renda maior somente quando se depara com uma gravidez indesejada.
Esse comodismo é algo relativamente normal na humanidade, em todos os povos. Todos tendem a evitar mudanças, todos tendem a se sentir confortáveis dentro de sua zona de conforto. O que acaba prejudicando o brasileiro, e nossa economia, é o fato de que, entre nós, falta um sentimento capitalista. Falta um sentimento capitalista mais intenso. Falta aquele capitalismo americanizado. Vejam: os EUA são a nação que melhor assimilou o capitalismo. Tanto é que há mais de um século são a maior economia do mundo. Eles são tão capitalistas que, na campanha presidencial do ano passado, o candidato republicano Mitt Romney sempre criticava o democrata Obama dizendo que ele sempre trabalhou no setor público e que não poderia administrar decentemente os EUA exatamente por que nunca esteve na iniciativa privada, nunca soube trabalhar pelo lucro. Alguém criticou esse pensamento? Claro que não. Mas se fosse no Brasil, o candidato republicano seria linchado em praça pública e sendo tachado de direitista, elitista, capitalista... Ou seja, só bobagens.
Perceberam onde quero chegar? Chega dessa história de esquerdismo!Chega dessa história de assistencialismo! Quer grana? Quer salário? Quer crédito? Trabalhe, meu caro! Monte um negócio! Procure o SEBRAE, Procure um programa de microcrédito! Saia dessa vida! Levante a bunda da cadeira! Vamos trabalhar!
Vejam o que é nossa vida, nosso sistema. Vivemos no capitalismo. Não adianta sonhar com comunismo e outras bobeiras. Você tem raiva dos bancos? Você tem raiva do governo, do tanto de meses que tem que trabalhar pra sustentá-lo? TODOS TEMOS! Sendo assim, pare de só ficar reclamando, comece a estudar um pouco mais e vá EMPREENDER MEU CARO!
Vamos a um exemplo prático: Há muitas cidades aqui do interior do estado de São Paulo em que a economia predominante é basicamente a atividade rural, com poucas indústrias em atividade por aqui. Ou seja, cidades como a minha dependem muito de usinas de cana de açúcar e de serviços prestados na cidade. E, devido a isso, ouvimos muitas reclamações do tipo: “Ah, mas a Prefeitura não faz nada, não faz nada pra trazer industrias pra cá...”. Alto lá, cara pálida! Você acha realmente que uma empresa resolve se instalar numa cidade só por que a prefeitura quer? Jamais, meu caro! Se você que reclama tivesse estudado um pouco, iria saber que uma empresa leva em conta diversos fatores antes de se instalar em algum lugar, tais como: facilidades de escoamento de produção, custos relacionados a entrega de produtos pelos fornecedores, mão de obra local, mercado consumidor local... Entendeu? E é aqui que começo a concluir: se não temos algumas das condições que eu acabei de citar, e que tornam nossas regiões pouco atrativas para o capital, não é melhor nos virarmos ao invés de reclamar? Não é melhor criarmos nossas indústrias ao invés de chorar por que nenhuma industria vem pra cá? Não é melhor trabalharmos por nós mesmos? Não é melhor sairmos de nossa zona de conforto?
Sendo assim, acho que o povo brasileiro pode, sim, ser mais ativo...Pode ser mais empreendedor. Há maneiras, há caminhos. Não somos preguiçosos. Só estamos acomodados, só estamos felizes na nossa zona de conforto. Só estamos felizes reclamando. Não precisamos nos indignar, vestir camisas do Che Guevara e gritar “Viva  La Revolución!”. Precisamos, isso sim, é concluir: “Quer saber? Eu quero é ganhar dinheiro!”. 

4 comentários:

  1. OI CRISTOVAM!
    HOJE VENHO ATÉ AQUI, APENAS PARA TE CONHECER,VIM A CONVITE DE TUA MÃE A DORLI,QUE É MINHA AMIGA BLOGUEIRA QUERIDA POR ISTO VIM E VOU TE SEGUIR.
    VOLTAREI EM OUTRA OPORTUNIDADE PARA TE LER.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderExcluir
  2. OI!
    NÃO ACHEI TEU QUADRO DE SEGUIDORES, NÃO O TENS?
    VOLTAREI.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderExcluir
  3. olá passando para conhecer seu blog que vi na barra da Dorli, que tanto admiro seu trabalho. Adorei, assunto e objetivo parecido com um dos meus blogs que é o www.patyiva.blogspot.com.br - Assuntos de Finanças, economia, contabilidade adm e direito.

    Se possível inserir seguidor, porque assim fica registrado na minha pag do blogger e assim visualizo as atualizações de postagens para visitar e não perder posts de meu interesse. Um abraço.

    Paty Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. É isso aí, como vocês costumam dizer.
    De bla bla bla estamos todos fartos.

    O importante é desempenhar nossas funções e termos um salário condigno.

    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir